Receitas Rápidas com que impressionar?

Consegue imaginar o ar surpreso dos seus amigos, ou até da sua namorada, quando lhes servir um delicioso Cocktail de Camarão? (só não lhes conte que apenas demorou 10 minutos na cozinha...!).

Para preparar com tempo e ter sempre à mão de qualquer ocasião, porque não preparar e congelar?

No dia é só cozinhar e servir como se tivessem sido acabados de fazer! Uma boa dica são os Crepes de Legumes, coloridos e estaladiços. Que tal?!

Porque adoçar o palato é adoçar a alma e porque nenhuma refeição está completa sem a sobremesa.

Experimente as diversas receitas de sobremesas disponíveis - da mais complexa à mais simples, todas prometem encher-lhe as medidas e tornar a sua refeição num momento mais feliz!

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Arroz de Pato

No frio de inverno, pratos de forno são pequenos prazeres... Quer pelo calor que se faz sentir vindo do forno, quer pelo cheiro que invade a casa, quer pelos pratos em si, que são momentos de conforto puros!



Ingredientes:
  • 1 pato caseiro com miúdos
  • Arroz
  • 1 ramo de tomilho
  • 1 ramo de alecrim
  • 2 bagas de zimbro
  • 2 cravinhos
  • 10 grãos de pimentas
  • Sal q.b.
  • Água q.b.
  • 1 ovo
  • 1 naco de bacon


Preparação:

Coza o pato e os miúdos, coberto em água, com os aromáticos todos e sal, na panela de pressão, em lume baixo, por 1 hora.
Após cozido, retire do caldo e deixe arrefecer.
Coe o caldo e leve-o ao frio para que a gordura se separe do caldo e consiga coá-la. Pode reservar a gordura para outros cozinhados ou rejeitá-la.
No caldo já límpido coza o arroz (uma medida de arroz para 1 e 3/4 de caldo). Deixe cozer e tape, para que o arroz absorva todo o caldo.
Desosse e desfie o pato, parta os miúdos em pedaços e reserve.
Coloque metade do arroz no fundo de um tabuleiro de forno. Cubra o arroz com o pato desfiado e os miúdos e, posteriormente, o restante arroz.
Bata o ovo e pincele o arroz com o mesmo. Disponha pequenas fatias de bacon no topo.
Leve ao forno a gratinar, para tostar o bacon e secar o ovo - não o leve a cozinhar, pois o arroz vai continuar a cozer e empapar.


domingo, 23 de outubro de 2011

Bacalhau em Cama de Puré de Grão, Espinafres Salteados e Ovo Escalfado

... ou Bacalhau de Consoada Gourmet, como alguém carinhosamente lhe chamou! :)



Ingredientes:
(2pax)
  • 2 lombos de bacalhau
  • 1 folha de louro
  • 2 ovos
(puré de grão)
  • 300g de grão cozido
  • Leite q.b.
  • Azeite q.b.
  • Pimenta q.b.
  • Noz-Moscada q.b.
  • Sal q.b.
(espinafres salteados)
  • 1 molho de espinafres
  • 3 dentes de alho
  • Azeite q.b.
  • Pimenta q.b.
  • Leite q.b.
  • Sal q.b.
(azeite de alho)
  • 50ml de azeite
  • 2 dentes de alho


Preparação:

Coza o bacalhau em água com a folha de louro. Depois de cozido retire a pele e as espinha e faça-o em lascas.

Coza o grão em água. Junte uma parte de leite ao grão já cozido e triture com a varinha mágica. Posteriormente, passe-o pelo pass-vite para se ver livre das peles.
Leve novamente ao lume com azeite, tempere e acrescente leite, a gosto, para obter um puré cremoso.

Salteie os espinafres em azeite e alho picado. Tempere, junte um pouco de leite e deixe ferver até o leite evaporar.

Leve o azeite a ferver com os dois dentes de alho esmagados, para que este ganhe o sabor a alho.

Escalfe o ovo em água fervente, por um minuto, mantendo a gema líquida.

Sirva as lascas sobre o puré e os espinafres. Coloque sobre estes o ovo e rebente-o para que a gema escorra por cima dos mesmos.

Regue com um fio de azeite de alho.



quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Rolo de Carne com Aromas Italianos

Há uns tempos tinha feito um rolo de carne recheado com fiambre e queijo e congelado para eventualidades. Com pouco tempo para cozinhar, de forma prática, mas carregada de aromas, este rolo saiu, com inspiração italiana, numa verdadeira maravilha.



Ingredientes:
  • 1 rolo de porco recheado com fiambre e queijo
  • 100g de tomate seco em azeite
  • 200g de cogumelos Paris fatiados
  • 1 cebola às rodelas
  • 3 dentes de alho picados
  • 200ml de vinho tinto
  • Azeitonas descaroçadas q.b.
  • Salsa em folhas q.b.
  • Alecrim q.b.
  • Tomilho q.b.
  • Azeite q.b.


Preparação:

Dispor todos os ingredientes num tabuleiro de forno, começando por colocar o azeite que untará o tabuleiro e as rodelas de cebola, que prevenirão que, se o fundo queimar, se perca todo o molho composto.
Disponha depois o rolo de carne e envolta os restantes ingredientes. Tempere com as ervas aromáticas, regue com o vinho tinto e leve ao forno a 200ºC até o lombo estar cozinhado.

Sirva com uma bela pasta ou, se preferir, um cremoso puré de batata, regados com este molho.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Lisboa Restaurant Week: Eleven

Foi o primeiro restaurante que experimentei na 6ª edição da Lisboa Restaurant Week.

O Eleven é um restaurante de topo, a cargo do Chef Joachim Koerper, com uma gastronomia mediterrânica. A cozinha aqui praticada está em harmonia com a época do ano, razão pela qual Koerper a donomina "de estação". A carta de vinhos, completíssima, é considerada uma das melhores em Portugal. Já o espaço, no topo do Parque Eduardo VII, é um edifício de traços minimalista com amplas janelas abertas à cidade e ao rio, carregado de tons neutros e muita luminosidade.

O menu desta edição era simples mas carregado de sabores e aromas.
Começámos por um miminho do chef, com Bochecha de Porco com Cuscus, Legumes salteados com espadarte fumado e uns pequenos "choux" de cogumelos. Tudo perfeito.


Nas entradas experimentámos ambas.
O Creme de mexilhão com laranja do Vila Monte estava excelente. Um creme muito aromático, onde se sentia, primeiramente, o aroma forte da laranja e, posteriormente, o suave sabor a mar do mexilhão. Uma combinação complexa, que se degustou tranquilamente.
A Salada de polvo com verduras crocantes tornou-se interessante sobre o puré de abacate, no entanto um pouco ácida. Uma mistura de sabores contrastantes, q.b. interessante.



Para prato principal optámos pelo Leitão cozinhado a baixa temperatura, emulsão de coco e caril, ratatouille de pimentos. Um prato que se revelou uma excelente escolha. O leitão estava tenro, a desfazer-se ligeiramente na boca, o ratatouille com um aroma intenso (talvez lhe faltasse um pouco de crocância) e a emulsão combinava correctamente com os restantes elementos.
Um prato muito bem elaborado.
Já a Asa de raia com cogumelos silvestres e ervilha torta, foi-nos desaconselhada por um amigo que a havia testado anteriormente, dado estar insípida e sem graça.



Para sobremesa optámos pela Tarte de pêra rocha com gelado de cassis, em detrimento do Prato de Fruta. Esta revelou-se uma sobremesa simples. A destacar o delicioso gelado de cassis, verdadeiramente saboroso.



Para acompanhar a refeição optámos pelo método de Vinho a Copo, tendo optado por um branco Chefs Collection de 2010, do enólogo Paulo Laureano.

Foi uma experiência diferente, com uma perspectiva interessante, deste que é um dos melhores restaurantes de Lisboa.

sábado, 1 de outubro de 2011

Workshop "Novas Texturas" da Cooking.Lab

Este Sábado tive a oportunidade de realizar um workshop na Cooking.Lab sob o tema "Novas Texturas I".
Neste workshop aprendemos como trabalhar alguns produtos comummente utilizados na chamada Cozinha Molecular, que vos mostro de seguida.

Maltodextrina

A maltodextrina é um hidrato de carbono resultante da quebra das moléculas de amido de milho, podendo também ser extraída da tapioca, trigo, batata ou arroz.

É um hidrato de carbono facilmente metabolizado pelo nosso organismo mas de uma forma lenta, fornecendo-nos uma energia constante. É muito utilizado por atletas de alta competição, pois funciona como um hidrato de carbono de recrutamento rápido (glucose) para a produção de glicogénio - energia muscular.

As maltodextrinas têm muitas aplicações na Indústria Alimentar, nomeadamente em emulsões, para controlar a viscosidade, para o encapsulamento de sabores, sendo que os resultados obtidos dependem da concentração usada e do comprimento das cadeias.

É ligeiramente doce de sabor, dissolve-se facilmente na água e tem propriedades de absorver gorduras ou líquidos sem água na sua composição (azeite, óleos, pastas de frutos secos, manteiga clarificada) e de os transformar em pó. À medida que se vai adicionando mais gordura, esta deixa de se apresentar como um pó, passando a apresentar propriedades plásticas, e quanto mais gordura se adicionar mais viscosa fica a mistura.

Na cozinha moderna é usada como espessante de molhos e como estabilizadora de gorduras, transformando em pós certas substâncias como chocolate, foie gras, o azeite, praliné, bacon derretido, etc.



Migas de Azeite e Ervas Aromáticas
  • 50ml de azeite virgem extra
  • 10g de maltodextrina
  • Ervas Aromáticas Frescas q.b.
  • Tomate Liofilizado*, q.b.
Incorporar aos poucos, com a ajuda de um garfo, o azeite na maltodextrina, de forma a obter-se um "pó" com o azeite totalmente absorvido.


Juntar as ervas e o tomate liofilizado e misturar de forma a ficar tudo homogéneo.


Aquecer a mistura do azeite-maltodextrina (Pó de Azeite) em lume brando, fazendo um movimento rotativo ao sauté, até se obter uma aglomeração de partículas.

Sugestão: Servir com um shot de gaspacho.





Crocante de Pistácio

  • 200g de pistácio moído grosseiramente
  • 35g de maltodextrina
  • 3g de sal
  • 25g de água
Misturar todos os ingredientes até ficar com uma textura pegajosa.



Esticar a mistura com o rolo da massa entre duas folhas de papel vegetal.
Remover a folha de cima e levar ao forno durante 8 minutos. Retirar, cortar conforme desejado e colocar novamente no forno por mais 27 minutos.

Sugestão: Servir com sorbet de tangerina.




Metilcelulose


A metilcelulose é um éter metílico da celulose, extraído da celulose dos vegetais, obtido através da substituição de átomos de hidrogénio de alguns hidroxilo (-OH) por grupos metílicos (-CH3), formando-se grupos éter (-OCH3).

É usada em alimentos, em medicamentos, cosmética, etc., como espessante, estabilizador de espumas e emulsões e para conferir viscosidade.
Não é nem tóxica, nem alérgica, nem assimilável, sendo usada em dietas de baixas calorias. É usada como laxante em casos de obstipação.

Ao contrário dos outros gelificantes, a metilcelulose gelifica quando se aplica calor e, a frio, actua como espessante, permitindo a realização de gelados quentes (que derretem quando frios), aglomerar vários vegetais e criar mousses sem natas e ovos.

A metilcelulose tem um comportamento pouco comum:
- É solúvel em água fria, formando uma dispersão viscosa, clara e transparente;
- Não é solúvel em água quente, embora neste caso disperse melhor, e tem de ser hidratada a frio;
- Gelifica quando é aquecida a 50º-70ºC e o gel liquefaz-se quando é arrefecido.



Almôndegas de Vegetais
  • 100mL de água
  • 3g de metilcelulose
  • Legumes variados
  • Tempero para legumes q.b.
Aquecer 30mL da água e temperar como se fosse para o volume final da água.
À água restante juntar a metilcelulose e misturar bem com a varinha mágica. Deixar este preparado no frigorífico durante 4 horas, para hidratar.
Após o tempo de hidratação da metilcelulose, juntar ao preparado a água temperada.
Cortar os legumes em cubos muito pequenos e misturar no preparado de metilcelulose, envolvendo bem.



Com a ajuda de uma colher de gelado forrada com película aderente, fazer aglomerados arredondados do preparado, envolvendo-os bem com a película.
Colocar água a aquecer num tacho até 70ºC. Manter esta temperatura e mergulhar os aglomerados envolvidos em película aderente, de modo a que não entre água.



Retirar os aglomerados passados 3 a 5 minutos, retirar a película e servir.



Goma Xantana

A goma xantana é um polissacárido produzido por uma bactéria - Xanthomonas campestris - frequente em folhas de couve, de couve-flor e de bróculos. A bactéria produz esta goma, que excreta para o seu exterior como forma de se proteger de outras bactérias ou vírus e também como resistência à secura. É um dos aditivos alimentares permitidos pela legislação comunitária e europeia.

A goma xantana tem um elevado poder espessante, mesmo quando usado a muito baixas concentrações (0,5 ou até 0,05%), podendo ser usado também para espessar bebidas alcoólicas.

Uma grande vantagem é a de que é solúvel tanto a quente como a frio, resistindo muito bem aos processos de congelação-descongelação. As suas dispersões são límpidas e incolores e sem sabor e apresentam propriedades pseudoplásticas, ou seja, a sua viscosidade diminui quando são sujeitas à aplicação de forças ou a agitação. E quando essas forças deixam de actuar, a solução retoma a sua viscosidade inicial. Daí que a consistência de preparações com xantana se tornem surpreendentemente agradáveis quando são introduzidas na boca, uma vez que a mastigação leva a que o preparado se torne logo mais fluído (um exemplo bem conhecido é o do ketchup).

É muito utilizado como agente suspensor, o que significa que é capaz de manter elementos em suspensão num líquido e, também, de reter bolhas de gás numa espuma (ares).

Em culinária pode ser utilizado como emulsionante em emulsões, molhos e gelados. É utilizado na indústria cervejeira como estabilizante de espuma de cerveja. É muito usada também em confecções como o mel, óleos vegetais e animais, leite e produtos lácteos, café, água mineral, massas alimentícias, açúcar, etc.

Não é metabolizada pelo nosso organismo, motivo pelo qual é usado em dietas hipocalóricas, Também é muito utilizado em comidas para bebés.


Cocktail Molecular - Mon Chérie

1ª camada
  • 100g de topping de chocolate
  • 40g de licor de ginja
  • 60g de água
2ª camada
  • 100ml de água
  • 20g de açúcar
  • 0,5g de goma xantana
  • Cerejas liofilizadas, q.b.
  • Purpurinas comestíveis, q.b.
3ª camada
  • 100g de licor de ginja
  • 10g de xarope de cereja
  • 40g de água

Para a 1ª camada, misturar bem todos os ingredientes até ficar homogéneo.



Para a 2ª camada, dissolver bem com a varinha mágica o açúcar e a goma xantana na água, adicionando as cerejas liofilizadas e as purpurinas apenas no final, de modo a ficarem em suspensão.
Para a 3ª camada misturar bem todos os ingredientes até ficar homogéneo.




Montar o cocktail camada a camada com a ajuda de uma pipeta, tendo o cuidado de colocar a mesma altura em cada camada. A quantidade vai depender das dimensões do copo. É aconselável escolher um copo estreito para este cocktail.

Sugestão: Pode fazer uma versão mais alcoólica substituindo parte da água da 2ª camada por Rum, tendo o cuidado de deixar hidratar o preparado durante 24 horas em refrigeração.




in Manual do Workshop Novas Texturas, Cooking.Lab


Pode adquirir quaisquer produtos utilizados nestas confecções, bem como os demais característicos da Cozinha Molecular através do endereço shop@cookinglab.net, solicitando informações relativas aos mesmos através do mesmo endereço.


Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More